Translate the blog to your language!

quinta-feira, 29 de abril de 2010

SHORINJI KEMPO: CONSTRUINDO UM HOMEM MELHOR

SHORINJI KEMPO

CONSTRUINDO UM HOMEM MELHOR [1]

Guilherme R. Fauque[2]

502px-Nagasakibomb Ao final da Segunda Grande Guerra, juntamente com a dolorosa derrota resultante dos covardes ataques nucleares sobre Nagasaki e Hiroshima, em agosto de 1945, o Japão declinou para um estado de tristeza e apatia moral. Neste mesmo ano Doshin So, residindo, então, na Manchúria (região nordeste da China), viu-se obrigado a ficar nas terras chinesas durante um ano, devido à invasão das tropas russas no local, presenciando a miséria e o sofrimento de um povo derrotado. Ideologias, religião e conceitos morais de nada importavam ao opressor. Tudo parecia reduzido à capacidade de um povo em se organizar para matar e derrotar outro povo.

SO DOSHIN Ao voltar para sua pátria, em 1946, Doshin So deparou-se com um povo profundamente abalado em suas bases. A moralidade e a compaixão eram valores inexistentes e cada pessoa lutava por suas próprias necessidades, ignorando completamente o sofrimento dos seus compatrícios. A violência e a injustiça permeavam as ruas japonesas diante dos olhos públicos, que nada faziam; o caos imperava e as esperanças num futuro melhor, vistas agora como meras utopias, eram soterradas pelos prazeres e recompensas momentâneas. Esta era a situação do Japão pós-guerra que Doshin So encontrou no seu retorno.

Diante desta absurda e caótica situação, Doshin So pensou numa maneira de ajudar o seu povo e reconstruir suas bases, dando esperanças aos jovens na obtenção de um futuro melhor, procurando, desta forma, restabelecer a credibilidade do Japão perante o resto do mundo.

Foi assim que, em 1947, estabelecido na cidade de Tadotsu, na província de Kagawa, Doshin So fundou seu Dojo onde passou a ensinar as pessoas a desenvolver seus potenciais, tendo como bases a filosofia ensinada por Buda. Primeiramente, suas intenções estavam em preleções e teorias filosóficas abstratas provindas do Zen, mas, assim como um Bodhidharma[3] moderno, logo deu-se conta de que só isso não era o suficiente para mudar a mente das pessoas.

Ora, sabemos que antes de toda a teoria moral ou filosofia ética, temos a via concreta que a precede. Portanto, antes de pensarmos moralmente, existe uma questão primordial ligada ao simples fato de viver e agir. Para agir, então, precisamos estar cientes desta questão primordial para anteciparmos o fim e escolher os melhores meios que nos levarão na direção de nosso futuro. Esta questão primordial nada mais é do que a Ética em si, na sua essência, como orientação e significação existencial. Doshin So intuiu esta questão quando afirmou: “A pessoa, a pessoa, a pessoa – tudo depende da qualidade da pessoa”[4]. Por isso o Doshin So procurou trabalhar as bases morais que levariam ao desenvolvimento da coragem, da misericórdia e do sentido de justiça, e para tal, compreendeu que havia a necessidade de preparar o físico juntamente com o espiritual, para daí sim tornar-se possível a busca dos ideais superiores almejados.

kaiso Então, utilizando-se das técnicas derivadas do Arahan no Ken[5], que praticou e tornou-se especialista quando estava na China, Doshin So lançou os primeiros passos para a criação do Shorinji Kempo, onde a disciplina e a capacidade de trabalho em conjunto eram fundamentais e formavam as bases necessárias para a construção de uma sociedade pacífica. Desta forma, o Shorinji Kempo, como proposto por Doshin So e praticado até hoje, visava não somente a construção de um corpo forte e saudável, mas também de uma mente reta e disciplinada (gyo) na busca de completar o humanitarismo e desenvolver o caráter dos praticantes, sem nunca esquecer a harmonia e o equilíbrio do in-yo[6], expresso nos círculos sobrepostos (so-en), elemento central do símbolo do Shorinji Kempo.

Desta forma, as habilidades físicas, com a intenção de formar tão somente lutadores habilidosos e fortes, não era a intenção final do Kaiso[7] ao fundar o Shorinji Kempo. A motivação maior estaria na cultivação de líderes verdadeiros, dotados de pensamento sadio, com afiado senso de justiça e confiantes no potencial humano de crescimento inerente das pessoas. Para o Kaiso o corpo sadio e o espírito dotado de uma coragem indomável, devem estar intrinsecamente ligados a um caráter polido, na busca de uma vida feliz, numa sociedade pacífica e próspera, calcado na força verdadeira ensinada pelo Shorinji Kempo.

Doshin-So-2 Este pensamento de harmonia envolve toda a prática do Shorinji Kempo. Vemos isso na disposição das técnicas do go ju ittai, contendo movimentos suaves, chamados de Juho e movimentos mais “duros”, de impacto, chamados de Goho, realizados como uma prática só, sem separá-los. Doshin So dizia que o corpo e o espírito não são separados (心身一如 - shinshin ichinyo) e que o corpo e o espírito deviam ser treinados juntos (拳禅一如 - kenzen ichinyo).

Destarte, quando começamos a prática do Shorinji Kempo, três princípios básicos do Ken são essenciais e devem ser observados no aprendizado: o Gi, o Jutsu e o Ryaku.

Estes princípios, assim como sua importância prática, também apresentam uma importância filosófica de aplicação não somente no combate físico, mas nas batalhas diárias da vida diária de qualquer ser humano.

Deste modo, quando nos referimos ao Gi (伎) estamos falando da aquisição técnica correta da movimentação do Goho e Juho. Sequencialmente, o Jutsu (術) se refere à aplicação das técnicas assimiladas no Gi e, por fim, temos o Ryaku (略) reportando-se a como usar o gi e o jutsu. Resumidamente, diríamos que gi é a técnica, o jutsu a habilidade e o ryaku é a estratégia.

img4666fe417e013 Individualmente estes três princípios de nada serão úteis. A sua força reside na utilização em conjunto. Estratégia sem obtenção da técnica e habilidade será falha. Técnica sem estratégia e habilidade, terá sua eficiência reduzida. Habilidade, só poderá ser adquirida com a aquisição da técnica e terá sua eficiência garantida com a estratégia. No entanto, aliando-as se terá um aprendizado perfeito, seguindo o gi, o jutsu e o ryu, sequencialmente e na aplicação realizando o caminho inverso, ryaku, jutsu e gi, ou seja, realiza-se uma estratégia a qual se quer alcançar (ryaku), escolhe-se o meio (jutsu) para, então, se realizar a ação (gi). Ora, se considerarmos que o Shorinji Kempo é uma disciplina (gyo), certamente a sua aplicação necessita de um acesso adequado, que mostra-se eficiente no desembaraço proposto pelos três princípios básicos do Ken.

yamasakyaraigassho Pensamos, inclusive, que talvez não seja por demais hiperbólico pensar que a própria criação do Shorinji Kempo possa ter seguido esta sequência. Digamos que ao objetivar a recuperação do povo japonês o Doshin So tenha criado um plano (ryaku) para isto e, por fim, colocado em prática (jutsu) com a criação do Shorinji Kempo (gi). De qualquer forma, o certo é que Doshin So, o Kaiso, fez um hercúleo e fantástico trabalho em prol de sua pátria, aliás, trabalho este que, por fim, veio a beneficiar a humanidade toda.


[1] Texto escrito para o exame de faixa de 3° kyu em 30/04/2010.

[2] Kenshi n° 648-02802-5, Branch Passo Fundo – RS, Brasil.

[3] Bodhidharma – Monge budista do século V, provindo da Índia, que introduziu a filosofia Zen (Chan) na China e, juntamente, exercícios físicos que vieram a se tornar o que chamamos de Artes Marciais.

[4] Hito, hito, hito, subete wa hito no shitsu ni aru” (em japonês).

[5] A Luo Han Zhi Quan em chinês.

[6] Ying Yang em Chinês.

[7] Kaiso (開祖)= Fundador em japonês.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Defesa pessoal - Shorinji Kempo Self Defense Embu

Embu de defesa pessoal. Esta é uma apresentação combinada de defesa pessoal utilizando, principalmente, as técnicas de Juho (suaves) do Shorinji Kempo.

Self defense embu. This is a combined presentation of self defense using, mainly, the JuHo (soft) techniques of Shorinji Kempo.

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Shorinji Kempo em uma lavanderia em São Paulo

Este matéria, feita pelo Globo Esporte, mostra um mestre de Shorinji Kempo, que trouxe a tradição da arte marcial japonesa, e ensina para as pessoas numa sala atrás de sua lavanderia no Bairro Liberdade em São Paulo.

Uma das frases, dita no video, que vale a pena meditar é uma citação ao Kaiso que diz que devemos dedicar metade de nossas vidas para trazer felicidade para os outros.

Muito bom!

Assistam o video logo abaixo.

--------------------------------------------

[english version]

This is a video, presented in a TV Show called Globo Esporte, where is showed a Shorinji Kempo’s master, that brought to Brazil the tradition of a japanese martial art and he have been teaching people in a room, behind his laundry, at the district Liberdade in São Paulo.

One of the phrase, told on the video, and that is worth to meditating, is a quote of Kaiso that we must devote a half our lives to bring up happiness to another peoples.

This is great!

Watch the video.

Ps: Briefly I will put subtitle in english on the video.